SEM ÉTICA E SEM FUTURO.




Ética e verdade são irmãs siamesas inseparáveis. A ética é, portanto, a ciência da verdade. Não há meia ética ou meia verdade. A ética e a verdade habitam nosso interior mais profundo. Mesmo aqueles que as desprezam, sabem disso e mais cedo ou tarde sentirão os efeitos dolorosos do remorso no órgão indecifrável chamado de consciência. Com exceção dos psicopatas.  Esses são grandiloquentes, enganadores e manipuladores. Incapazes de sentir empatia. Cruéis sem culpa e sem dor. A história está repleta de exemplos: Átila, Nero, Hitler, Stalin...

Ética e verdade não coexistem na mentira. Ou é ou não é! Mas, claro, há um enorme contingente que comete o pueril autoengano de achar que malabarismos retóricos e relativismos indefensáveis são panaceias eficazes para justificar seu universo de delinquências recorrentes (e quase sempre ideológicas).  Não são. Essa ética meia-boca transita na corda bamba, manca como um saci-pererê. Falta-lhe um braço para manter as três bolas no ar. Esse malabarismo não consegue manter seus delírios e mentiras de pé. Um dia a casa cai.   

A sociedade é o nutriente definitivo da ética. O substrato: valores e crenças que forjam comportamentos e atitudes. E que desembocam em ações. O Brasil é um país sem ética. Isso pode ser percebido com clareza em todas as camadas sociais. Nosso todo não para de pé. É o resultado da soma de partes danificadas na sua essência. A mesma que defende que a corrupção faz parte de nossa cultura e que se orgulha do jeitinho como forma de driblar as dificuldades por nós mesmos criadas.

Faltam-nos referências éticas. Um líder só poderá sê-lo se for o guardião da ética e da verdade. Para boa parte dos brasileiros não importa que seu ídolo esteja condenado em terceira instância e preso. Tampouco que responda por mais de seis processos por corrupção e lavagem de dinheiro. Para outra expressiva parte, é defensável blindar familiares políticos de acusações sobre fatos e indícios que atentam contra a ética.

O sucesso e o fracasso das nações está visceralmente ligado ao seu comportamento ético. Não é à toa que os países mais honestos do planeta ocupam o topo da escala do desenvolvimento. Dinamarca, Nova Zelândia, Finlândia (todos com índice superior a 85, em uma escala que vai de zero=altamente corrupto a 100=altamente íntegro). O Brasil, dentre as 180 nações avaliadas, ocupa a posição 105. Com o vergonhoso índice de 35, estamos piores que Tanzânia, Gâmbia e Guiana.

Uma sociedade que não tem compromisso com a ética elege deputados e senadores que lhe são, em tudo, seu próprio espelho. Essa é a origem da aprovação de excrescências como a atual Lei do Abuso de Autoridade e a dificuldade ,quase intransponível, de se criar leis que desestimulem a prática do crime. 

posts parecidos

Política

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para o desenvolvimento deste Blog. Desde já obrigado!

Conectividade de A-Z

O CANAL PARA FALAR DA CONEXÃO HUMANA.

Aqui você tem voz. Pode contribuir, sugerir, criticar, propor temas, discutir e ampliar o escopo do Blog. Nossa conexão poderá fazer a diferença.