UM RETRATO SEM RETOQUES DO SOCIALISMO.


No zoológico de Zulia, Maracaibo/Venezuela, os animais aguardam, pacientemente, a hora de morrer. A primeira foto no alto é de um puma. O outrora, belo espécimen, está pele e osso. Não se pode precisar quantos dias ainda viverá.  Na sequência, vemos multidões protestando contra a fome terminal que dizima a população. Houve uma época em que a Venezuela era o país mais rico da América Latina. Hoje, seus cidadãos catam restos de comida no lixo. A morte de bebês já não parece sensibilizar mais ninguém. Todos os dias centenas de crianças são sepultadas vítimas da desnutrição extrema. O regime imposto pelo ditador Nicolás Maduro disputa o ranking dos mais odiosos e hediondos do século. Há um genocídio em curso na Venezuela.


Contra fatos não há argumentos. Só que não!
O cérebro humano possui um diabólico esquema de autoengano quando se trata de justificar crenças arraigadas das quais não se quer (ou não se pode) abrir mão.Os exemplos são tantos que chega a ser enfadonho listá-los.

Uma das líderes mais brilhantes do século 20, a britânica Margaret Thatcher (1925-2013) foi arrasadora ao definir o comunismo. Na verdade, este sistema é tão ruim que nem os próprios comunistas têm a coragem de assumir seu nome. Usam o eufemismo "socialismo". Políticos, intelectuais e artistas brasileiros de esquerda adoram este termo. E eles estão cada vez mais alienados da realidade dos fatos e do mundo. Caetano Veloso declarou apoio ao meliante 
visceral Guilherme Boulos. Sim. Aquele mesmo que faz da invasão de prédios públicos um meio de vida.

As esquerdas acreditam que o crime compensa, desde que não seja descoberto, é claro. Eles fazem de tudo para categorizar crimes- quaisquer um deles- como algo legítimo. Até que encontrem pela frente instituições fortes, leis que são aplicadas e um, digamos, Sérgio Moro com coragem suficiente para encarcerá-los. O resto é encenação grosseira de mentes doentes e perdedores contumazes.

O melhor exemplo do "socialismo" desde o carniceiro Pol Pot (1925-1998) é a Venezuela de MaduroLá, a cada dia, este regime de terror se supera na arte de levar seus pobres cidadãos ao inferno em vida. Uma foto vale mais que mil palavras. Por aqui, como de costume, nenhuma palavra, nenhuma ação vagamente humanitária por parte dos partidos de esquerda. Eles estão mais preocupados em se safar das grades e quem sabe, salvar seu quinhão da pilhagem perpetrada desde que se aboletaram no poder.

Ah... Thatcher disse que "O problema do comunismo é que um dia o dinheiro dos outros acaba". Na Venezuela o dinheiro acabou faz tempo. E o povo morre à míngua. 

posts parecidos

Política

Conectividade de A-Z

O CANAL PARA FALAR DA CONEXÃO HUMANA.

Aqui você tem voz. Pode contribuir, sugerir, criticar, propor temas, discutir e ampliar o escopo do Blog. Nossa conexão poderá fazer a diferença.