O PODER COMO FIM EM SI MESMO.

Fachada da DCO Informática. Uberlândia-MG.

“Aponte um presidente que não se descreveria como sendo cruel e destrutivo? Isso não existe. Mas,corrupção... ah... isso é apenas uma questão de perspectiva. Em outras palavras, este é o nome do jogo.”

A frase acima é de Francis Underwwod, o amoral presidente estadunidense interpretado magistralmente por Kevin Spacey na série “House of Cards”. É parte de uma conversa com Tom Hammerschmidt , editor-chefe do Washington Herald interpretado por Boris McGiver.

Underwood decide invadir o oriente médio para tirar o foco do eleitorado dos desmandos de seu governo.
Dilma Vana, fez igual. Ela e seu partido invadiram o país com suas tropas vermelhas para saquear os cofres públicos. O motivo? A perpetuação no poder com a capitulação definitiva da moralidade e da ética.

Underwood pensa transformar o Washington Herald em um tipo de Carta Capital. Ao que tudo indica, não conseguirá. Veremos...

Dilma Vana e seu partido aparelharam todos os níveis da administração pública. Criaram um bunker que pensavam ser inexpugnável no Ministério da Educação e da Cultura. Faz sentido. Os ditadores todos, de Hitler a Maduro, de Stalin a Abu Bakr al-Baghdadi (chefe do Estado Islâmico) adotam a lavagem cerebral dos jovens imaturos para a consecução de seus objetivos criminosos.

Ontem, o expurgo no MinC ,com a demissão de 81 extremistas culturais e seus marionetes descerebrados, nos dão conta de que a guerra será longa para libertar a nação dos fanáticos seguidores de Dilma Vana e seu Sindicato do Crime.

Hoje, o TSE divulgou mais uma das falcatruas que ajudaram a eleger Dilma Vana em 2014. A empresa DCO Informática, com sede em Uberlândia-MG, recebeu R$ 4,8 milhões pelo serviço de envio de mensagens com propaganda eleitoral para celulares de eleitores em potencial. A DCO possui apenas um servidor mambembe, um notebook e três funcionários sem vínculo empregatício. A fachada da “empresa” parece uma obra inacabada em adiantado estado de deterioração.

Também hoje, Eduardo Paes, entrega a reforma dos apartamentos para a comitiva olímpica australiana. Era para o Comitê Olímpico Brasileiro pagar uma conta de R$ 51 milhões. Vai sair por R$ 254,9 milhões. Cinco vezes mais!

A obra, 100% financiada pela CEF à notória Odebrecht no valor de quase R$ 3 bilhões foi entregue como são as unidades do Minha Casa, Minha Vida. A imagem do país no exterior está como as águas da baía de Guanabara.

“A estrada para o poder é pavimentada com hipocrisia e atrocidades”. Outra frase de Underwood.
Mudar isso é tarefa para as próximas gerações.

posts parecidos

Política

Conectividade de A-Z

O CANAL PARA FALAR DA CONEXÃO HUMANA.

Aqui você tem voz. Pode contribuir, sugerir, criticar, propor temas, discutir e ampliar o escopo do Blog. Nossa conexão poderá fazer a diferença.