ILHÉUS TAMBÉM TEM SEU PETROLÃO.


Acabo de chegar de Barra Grande, um vilarejo cercado por praias pouco habitadas na baía de Camamu, estado da Bahia. A primeira parada é o aeroporto de Ilhéus. De lá, são 100 km até o porto de Camamu pela BA-001 onde um barco rápido nos transporta em meia hora até a porta desse paraíso inexplorado.
Essa introdução é apenas para situá-lo geograficamente já que nossa intenção é compartilhar com você, caro leitor, uma experiência real que o fará entender porque crenças ideológicas anacrônicas, a ausência de valores éticos e a insistência em trilhar por caminhos equivocados nos conduziu a esse estado de penúria terminal na política, na economia e na infraestrutura.
Ilhéus, outrora, foi a meca do cacau até sua lavoura ser destruída pela praga “vassoura de bruxa”.  Hoje, com uma nova e resistente variedade desenvolvida pela Embrapa a indústria do cacau dá os primeiros sinais de recuperação. Mas, o que beneficia a região nesse interregno tem sido mesmo a indústria do turismo apesar da precariedade da infraestrutura regional, diga-se de passagem.
Ilhéus está situada a 40 km de Itabuna. Juntando-se o PIB dos dois municípios chega-se a algo como 6 bilhões de Reais – o quarto do Estado da Bahia. O aeroporto de Ilhéus atende não só à demanda turística como é estratégico para a indústria e o comércio regional sendo atendido por todas as companhias aéreas do país. Seria ótimo se o aeroporto de Ilhéus não fosse pior do que qualquer rodoviária de interior. Minúsculo, acanhado, claustrofóbico um pouco maior do que um ponto de ônibus.
Enquanto isso, Dilma Vana e seu (des)governo investiu 2 bilhões de Reais no porto cubano de Mariel a fundo perdido isto é: sem qualquer ônus para os ditadores da ilha e sua nomenklatura. Se não fosse indefensável sob quaisquer perspectivas este investimento seria imoral quando se vê nossos portos, aeroportos e infraestrutura literalmente desabando sob o peso de anos sem qualquer tipo de renovação.
Ah... Já ia esquecendo. A cidade de Ilhéus está nas mãos de Jabes Ribeiro do PP (aquele partido que já tem cadeira cativa em quase todos os escândalos de corrupção conhecidos). Jabes responde a 14 processos na Justiça Federal por improbidade administrativa. Somados, os processos de Jabes dariam para construir um aeroporto de bom tamanho. São  quase 15 milhões de Reais surrupiados. A receita é a mesma de sempre. Obras superfaturadas e serviços pagos que nunca foram realizados. Tudo leva a crer que o know-how do petrolão está disseminado de norte a sul do país.

posts parecidos

Política

Conectividade de A-Z

O CANAL PARA FALAR DA CONEXÃO HUMANA.

Aqui você tem voz. Pode contribuir, sugerir, criticar, propor temas, discutir e ampliar o escopo do Blog. Nossa conexão poderá fazer a diferença.