DIAS DE FÚRIA


Quem não se lembra de “Dias de Fúria” ( título original Falling Down , dirigido por  Joel Schumacher, EUA-1993) com Michael Douglas no papel do tresloucado William Foster ? Foster após um dia difícil pede no balcão de um restaurante “fast food” seu café da manhã e recebe a resposta de que isso não é  mais possível pois já se passaram exatos dois minutos da hora desse serviço e agora se ele quiser terá que pedir algo do menu do almoço.

Claro que Foster não recebe bem a proposta e saca um fuzil ameaçando transformar o local em peneira. O cliente sempre tem razão, não é mesmo? Após seu convincente argumento, finalmente, o café lhe é servido.

O Brasil está na pele de William Foster. Ninguém aguenta mais o (des)governo de Dilma Vana que transformou o país em um quiosque de beira de estrada de péssimo serviço, preços caros e menu inexistente. A gerente do quiosque é, como todos sabem, intransigente, raivosa e trata seus clientes com desprezo e  prepotência.

Dilma Vana virou uma “sem noção” completa. Pensava que poderia mentir aos seus eleitores sem consequências. O resultado está aí. A última pesquisa CNT/MDA divulgada em 23.03.15 crava em 84% o percentual da população que afirma que ela não cumpriu o que prometeu na campanha eleitoral.

Quando se trata da avaliação pessoal da “presidenta” seu índice de desaprovação bate em 77,7 %. Embora a palavra impeachment ainda seja um tabu por parte da opinião pública é ilustrativo conhecer que 59,7% da população são favoráveis a esse recurso.

Nada de positivo (para o governo, bem entendido) aconteceu após os protestos de 15 de março. Dilma Vana demitiu seu Ministro da (Des)Educação e o novo, Renato Janine, já admite o corte de programas. Nenhum dos 39 ministérios foi eliminado. O ex-Ministro da Secretaria da Comunicação Social Tomas Traumann reconheceu (o óbvio) que o governo é um caos e pediu demissão. O (des) articulador político Pepe Vargas foi defenestrado. Eliseu Padilha, atual ministro da Aviação Civil, foi convidado para a vaga e a recusou. Até agora não saiu o balanço auditado da Petrobrás e a fila dos processos internacionais contra a má gestão financeira da empresa tem um novo integrante – ora, vejam, a comportadíssima Suécia. As tarifas públicas explodiram e a inflação não dá trégua. A CUT vai a campo contra o Projeto de Lei 4330/04 (sobre a terceirização) que é simpático ao governo. Ainda não foi apontado um substituto para o ex-Ministro Joaquim Barbosa ( que se aposentou há mais de seis meses). E para complicar ainda mais a situação, o criador de Dilma Vana ,também conhecido como o Molusco de Caetés, trama nos bastidores para descolar sua imagem da desastrada criatura.

Enquanto isso falta luz, água, aquecimento, ar condicionado, internet, papel para impressoras e outros artigos de primeira necessidade nas embaixadas brasileiras de Tóquio a Benin. É a venezualização em marcha acelerada da diplomacia nacional.

No próximo dia 12 de abril haverá um novo protesto. Tudo indica que será ainda mais contundente que o primeiro. Para não sermos injustos com Dilma Vana, há que se registrar seu recentíssimo pronunciamento sobre a Petrobrás: “Eu tenho certeza de que a luta para a recuperação da Petrobrás que está em curso é minha, é do meu governo e interessa a todo o povo brasileiro”.

Ué? Mas não foi o partido dela que destruiu a Petrobrás? O mínimo que a sociedade pode esperar é uma “luta para a recuperação” daquela que outrora foi a empresa orgulho da nação.

Dilma Vana está brincando com a fúria dos brasileiros...
Como brinde, aí vai o mais emblemático trecho de Dias de Fúria.
 
 

posts parecidos

Destaques

Conectividade de A-Z

O CANAL PARA FALAR DA CONEXÃO HUMANA.

Aqui você tem voz. Pode contribuir, sugerir, criticar, propor temas, discutir e ampliar o escopo do Blog. Nossa conexão poderá fazer a diferença.