AFRONTA A TIRADENTES E AO BRASIL.






São raros os verdadeiros heróis e o Brasil é um país de escassos cidadãos que merecem este título. Não estamos falando aqui de pessoas cujos feitos são motivo de orgulho nacional como Santos Dumont (1873-1932), mas de homens que deram a vida por uma causa transcendental e com isso mudaram os rumos da nossa história. Pesquise o quanto quiser e não encontrará ninguém com o perfil de Joaquim José da Silva Xavier – o alferes do Regimento de Cavalaria de Vila Rica mais conhecido pela alcunha de Tiradentes (1746-1792) e que está para sempre imortalizado na memória nacional como o “Mártir da Inconfidência”.


Pois bem. Hoje no dia de Tiradentes nosso herói teve sua memória ultrajada. O governador petista de Minas Gerais, Fernando Pimentel, concedeu a Medalha da Inconfidência a ninguém menos que o sicário do MST João Pedro Stédile. Indagado pela imprensa sobre os motivos da condecoração, Pimentel declarou sem o menor pudor “a definição dos homenageados tem como critério os relevantes serviços prestados ao Estado nas respectivas áreas de atuação de cada agraciado”.

Os cidadãos mineiros e o povo brasileiro têm o direito de saber quais relevantes serviços o fora-da-lei Stédile prestou ao país. Será que foi a destruição de quinze anos de pesquisa da Suzano feita pelas mulheres mascaradas do movimento?

Ou a depredação realizada na estrada de ferro Carajás através da qual a Vale escoa seu minério? Ou quem sabe as contínuas agressões, ameaças, ferimentos, sequestros, violação de domicílio, invasão de propriedade privada, interrupção de serviços de utilidade pública e homicídio doloso como o ocorrido na colisão da BR 101 de Sergipe em março deste ano?

O MST representado por seu “presidente” Stédile é um grupo terrorista sanguinário que afronta as leis do país com o beneplácito do governo petista. Simples assim.

Quando se pensa que o PT e seus embusteiros já esgotaram a lista de crimes e atrocidades contra a sociedade brasileira somos surpreendidos por mais este ato de indesculpável desfaçatez e que atenta contra a honra nacional.

A história é implacável com os facínoras da democracia. Em 19 de agosto de 1961 o então presidente Jânio Quadros (1917-1992), resolveu condecorar o serial-killer argentino-cubano Che Guevara (1928-1967) famoso pela frase (ignorada, é claro, pela dementada esquerda local) “Eu não preciso de provas para executar um homem. Eu só preciso saber que é necessário executá-lo!"  

Sabemos o que aconteceu depois.  A ultrajante condecoração do meliante do MST é mais um passo para a derrocada final da organização criminosa travestida de partido político que envergonha a nação.
 

posts parecidos

Política

Conectividade de A-Z

O CANAL PARA FALAR DA CONEXÃO HUMANA.

Aqui você tem voz. Pode contribuir, sugerir, criticar, propor temas, discutir e ampliar o escopo do Blog. Nossa conexão poderá fazer a diferença.