JOSÉ DIRCEU E MAGNETO SÃO ALMAS GÊMEAS.




 
 
  
A revista Veja publicou nesta semana trechos da biografia de José Dirceu escrita pelo jornalista Otávio Cabral com base em minuciosa pesquisa e dezenas de depoimentos. É uma contundente peça esclarecedora sobre o verdadeiro José Dirceu. Não aquela “casca”, a fachada que exsuda indignação em relação às acusações do “sistema burguês” a um heroico cavaleiro em guerra contra as injustiças sociais, mas o hospedeiro, o verdadeiro ente que se remexe em suas vísceras a corroer a ética em nome de escabrosos objetivos. Qual monstruoso alienígena, que necessita de um corpo humano para disfarçar seus intentos de dominação, Dirceu é eviscerado até a exposição de sua essência. 

É difícil não entrar novamente, no universo dos personagens da série X-Men principalmente quando se depara com dois personagens que são o reflexo um do outro.

Magneto, como os aficionados de X-Men sabem, detém um poder singular. Ele controla todas as substâncias metálicas. É capaz de, apenas com a força da mente, arrancar de seu eixo a famosa ponte Golden Gate de San Francisco como nos mostra a terceira sequência da série  “O Confronto Final “. É o poder absoluto transmutado em aterrorizante arma tirânica. 

Magneto possui uma visão distorcida da humanidade em virtude de uma experiência traumática (em sua infância foi prisioneiro em um campo de concentração nazista). A partir daí pautou-se pela filosofia de que o poder é o meio ideal para aniquilar facções da sociedade que ameacem frustrar seus planos de dominação. A vivência de Dirceu como perseguido político agindo na clandestinidade forjou-lhe a crença de que o poder existe para servir a projetos pessoais de ascensão a qualquer preço. 

 Magneto não tem amigos. Simplesmente usa quem estiver no seu entorno como fantoche para realizar o entediante trabalho sujo. Exerce indefinível fascínio sobre as mulheres que a ele se submetem com prazer.  Descarta impiedosamente a devotada parceira Mística (que pode se metamorfosear em qualquer pessoa ou ser vivente) quando ela perde seus poderes: “Você agora não é mais uma de nós”, balbucia insensível.

Através dos trechos da biografia publicada ficamos sabendo que Dirceu foi implacável com suas companheiras reduzidas a meros instrumentos para alcançar seus propósitos inconfessáveis.   

Magneto liderava a “Irmandade”:  mutantes que agem como bem entenderem sem quaisquer limites éticos incluindo sequestrar e eliminar se preciso for tantos quantos a eles se interpuserem. Dirceu manteve em cárcere privado sob condições desumanas “inimigos” (eufemismo para todo aquele que se opunha a suas ideias). Da mesma forma chantageou, mentiu, perseguiu, apropriou-se de dinheiro público (era, segundo os autos jurídicos, o chefe da organização criminosa que nutriu a irmandade do ”Mensalão”).  Impossível não perceber tão eloquente semelhança. 

O filósofo francês Emmanuel Lévinas (1906-1995) expõe em sua obra que “a moralidade começa quando eu percebo que o uso não crítico de meu poder pode fazer mal aos outros”. É isso mesmo. Tão simples quanto verdadeiro. Só se pode falar de ética ou moral quando se toma o cuidado para que o poder que nos foi outorgado não possa, nem de longe, ferir a liberdade alheia. Ser ético, em última análise, é abrir mão de minhas prerrogativas e objetivos sempre que eles provoquem o infortúnio social. 

“Meu filho, tenha muito cuidado com a maneira de tratar as pessoas quando você estiver subindo na vida, pois, geralmente, são as mesmas que você encontrará quando estiver descendo”. Este sábio pensamento me foi legado por minha querida avó Sérvula, uma mulher extraordinária. Pequena na estatura, gigante na sabedoria de seu coração. Sérvula, que em latim significa “a pequena serva” professava os princípios da liderança servidora e da ética.  

Dirceu e Magneto não são, decididamente, exemplos que possam guiar a quem quer que seja. Magneto acaba sendo preso. Quanto a Dirceu ainda não sabemos...
 

Desejo que você, caro leitor, neste fim de semana experimente o poder inebriante da felicidade.

posts parecidos

Conectividade de A-Z

O CANAL PARA FALAR DA CONEXÃO HUMANA.

Aqui você tem voz. Pode contribuir, sugerir, criticar, propor temas, discutir e ampliar o escopo do Blog. Nossa conexão poderá fazer a diferença.