O PLANEJAMENTO NOS PAÍSES DO BRIC


O Brasil tem empresas de classe mundial: Embraer, Vale, Ambev, Brasil Foods, Gerdau, Natura... apenas para citar algumas das nossas melhores empresas privadas. Não passa pela cabeça de ninguém que elas não saibam planejar...

Claro! Temos a gigante Petrobrás, mas sua gestão está umbilicalmente ligada às idiossincrasias do governo da hora e apesar de todo o respeito que ela merece por seu acervo tecnológico não seria considerada exatamente como benchmarking de planejamento.

Também há péssimos exemplos de planejamento na esfera privada. A  OHL Autopista Litoral Sul, concessionária que administra a BR 376 entre Curitiba e Florianópolis está no extremo oposto da escala do bom planejamento.

Não consegue executar o rudimentar trabalho de restaurar uma ponte de 30 metros de comprimento. Está tentando terminar está “dificílima” tarefa há exatos seis meses, sem previsão de entrega. Em menos de dois anos o Japão recuperou todas as cidades e estradas que foram vitimadas pelo tsunami de 2011.

Em cinco anos a China construiu a maior rede de ferrovias de alta velocidade do planeta com mais de 8.000 quilômetros. A Índia entregou à população o novo aeroporto de Nova Delhi em 36 meses (incluindo sua ligação por metrô ao centro da cidade).

A Rússia sediará a Copa do Mundo de 2018, mas alguns de seus estádios já estão quase prontos.  A arena Kazan  está com mais de 70% da obra concluídos.

Recebi de uma de minhas leitoras assíduas, Silvia Ribeiro um artigo  escrito pelo piloto brasileiro Antônio Carlos Cruzeta sobre as condições de nossos aeroportos. Reproduzo aqui alguns de seus trechos mais estarrecedores.

1. Se você, passageiro, está indo para Porto Alegre, fique sabendo que seu avião não pode alternar para Florianópolis caso Porto Alegre esteja fechado. Florianópolis tem um vergonhoso pátio para apenas cinco aviões; lembrando que no verão Florianópolis recebe mais 150 voos de fretamento ,além dos regulares”.

2.No Nordeste, o controle de tráfego aéreo tem que se submeter à prioridade dada aos aviões militares que fazem treinamento. Isso,  consequentemente ,gera atrasos de mais de 20 minutos nas decolagens o que desencadeia um efeito cascata em todo o sistema de voos do país. É da regra internacional  que uma aeronave em instrução militar tenha preferência sobre aeronaves civis em pousos e decolagens, porém, se o País quer adotar regras internacionais ao pé da letra...que construa bases  específicas para a função militar”.

3.Eu como piloto de linha aérea digo ,sem exagero ,que voar no Brasil  é como estar voando numa espécie de alerta amarelo.  Ao decolar não significa que temos a certeza de pousar no destino nem no aeroporto de alternativa. Outro dia, cinco aeroportos estavam literalmente fechados por falta de pátio: Confins, Galeão, Vitória, Guarulhos e Campinas. Você tem que decolar de Brasília para São Paulo com combustível suficiente para alternar para Salvador.

4. Nos EUA, Europa e Ásia constroem um aeroporto para atender uma demanda que só ocorrerá daqui a 20 ou 30 anos e com pátio suficiente para estacionar mais de 100 aviões de grande porte juntos. Isso é bem diferente dos puxadinhos brasileiros que não dão conta nem da demanda atual. Enquanto você lê esse texto, na Índia estão sendo construídos  10 aeroportos maiores  que o de Guarulhos. Na China são mais de 70 em construção!

5. “No Brasil, a ANAC leva 30 dias para emitir uma carteira de aeronauta.  Nos EUA, a mesma carteira é emitida em apenas uma hora pela FAA. Sem falar que no Brasil a ANAC administra um universo de 20 mil pilotos comerciais enquanto nos EUA são mais de 600 mil”.

E nosso articulista termina dizendo:

“O povo brasileiro só sabe reclamar. Só não sabe reclamar para a pessoa certa, ou órgão “competente” certo. Reclama pro vizinho e pro amigo, mas quase ninguém entra no site do Senado ou da Câmara dos deputados pra enviar um e-mail de protesto ao político em quem votou...ou pelo menos para saberem o que eles estão fazendo...

Faço minha as suas palavras...

Outra leitora assídua, Priscilla Carvalho, tem uma frase que traduz muito bem a nossa desesperança em que as coisas neste país sejam diferentes:

“ A única saída pro Brasil  mudar pra melhor é morrer e reencarnar em outra nação... ”

Ainda tenho esperanças... E você?

Grande abraço.

De brinde pra você o estágio atual da "Arena Kazan" russa para a Copa de 2018.

 

posts parecidos

Conectividade de A-Z

O CANAL PARA FALAR DA CONEXÃO HUMANA.

Aqui você tem voz. Pode contribuir, sugerir, criticar, propor temas, discutir e ampliar o escopo do Blog. Nossa conexão poderá fazer a diferença.