VAL MARCHIORI E A FILOSOFIA.

“O tipo de filosofia que se escolhe depende do tipo de pessoa que se é”Johann Gottlieb Fichte.
O carnaval é a antítese da filosofia. Talvez por isso mesmo tenha sua própria dialética.
Nada contra ficar entorpecendo os neurônios com as imagens que a televisão reprisa desde quando o Zé Pereira era criança. Mas, tudo tem limite. Ou melhor, nada parece ter limite nesses tempos em que a filosofia de massa é ditada pelo BBB/2013 (um sério desafio ao “Penso, logo existo” de  René Descartes.
Nunca vi o programa “Mulheres Ricas”, mas vou ter que considerar seriamente esta possibilidade para fazer uma graduação relâmpago na antropologia das misérias intelectuais humanas.
O Brasil não tem tradição filosófica. Isso está com os dias contados. Desponta neste oráculo moderno formado pelas imagens em alta definição uma nova “intelligentsia” nacional: Val  Marchiori. Suas ideias deixam no chinelo todos os compêndios da sabedoria humana de Aristóteles a Peter Singer.
Se não vejamos:
Não faço personagem nenhum. Até porque eu sou rica mesmo, sou magra mesmo, sou alta, loira e linda. Sorry para as gordas, para as aspirantes a ser famosa”.
 Pobre Sócrates que ousou arriscar que “A vida irrefletida não vale a pena ser vivida”. Não para Lady Marchiori.
Quanto a Diógenes de Sínope com sua frase “Tem mais quem se satisfaz com o mínimo”, bem... melhor deixar pra lá já que... “Meu figurino é esse mesmo: relógio Cartier, uma bolsa Chanel, saia Dior e joias da Tiffany & Co” como brada a surfista social sem nenhum pudor no alto de seu tsunami particular.
Quando suas “colegas” chegaram ao local (um camarote VIP ,no carnaval de Salvador) para assistir a um dos programas da série que fora ao ar semanas antes ela obtemperou “Imagina, ver programa, isso daí é para principiante a ser famosa. Hello! Eu estou em outro nível",  desdenhando das demais.
Fica claro que Val – a Valquíria da Barra Funda, jamais considerará que “A fama e a tranquilidade nunca podem ser companheiras” como acreditava Michel de Montaigne.
 VM  se sente tão superior à malta rasteira que dispara petardos letais mirando a concorrência sem piedade (já que ética é um termo que lhe é desconhecido). Sua argumentação deixaria Sidarta Gautama (“Feliz aquele que superou o ego”) apoplético:
 "Essa é a pior delas, uma mulher lá de Santana do Parnaíba (SP), que não frequenta os Jardins , não frequenta a alta sociedade paulistana e se diz rica. Onde, gente? Só se for do bairro dela. É brega, não sabe se vestir. A pele é horrível. Tudo ruim. Por isso, está sozinha até hoje".
E ela segue em frente orgulhosa de suas crenças inabaláveis "Quem me conhece no dia a dia, sabe que eu sou assim mesmo. Essa é a Val, eu falo o que eu penso” . Pelo menos isso vem a confirmar o que disse David Hume “ O hábito é o grande guia da vida humana”.
Antes do grand-finale  filosófico Val nos presenteia com o seu roteiro para o sucesso.
" Sabe, você quer ser uma cantora, vai para o Raul Gil, quer ser atriz vai fazer Globo, sei lá. As pessoas querem ver glamour e mulheres chiques no programa. Mulher meia boca a gente vê em qualquer lugar".
Certo mesmo estava Arthur Schopenhauer  “Todo homem toma os limites de seu próprio campo de visão como os limites do mundo”.
Para o grand finale  Dame Marchiori  compartilha conosco quem são seus verdadeiros ídolos:
 "Luiza Brunet. Ela é rica de tudo, de beleza, cultura, filhos, família. Ah, a rainha Elizabeth também. Hello, a minha cara! Paris Hilton, porque é de família de rico. Nossa presidente, Dilma Rousseff, rica de votos dos brasileiros. São vários tipos de riqueza".
Esta é Val Marchiori. Nem melhor nem pior que  muita gente que atinge seus cinco minutos de fama neste país tão necessitado de referências.
Após conhecer a filosofia de VM passo a concordar plenamente com Erasmo de Roterdã “ Não saber nada é a vida mais feliz”.
Feliz 2013! Como todos sabem, o ano no Brasil só começa mesmo depois do Carnaval.
____________________________________________________________

Caro leitor,
Sou um amante tardio da filosofia. Se você tiver interesse saiba quem são os filósofos citados na ordem em que aparecem no texto.
1. Johann Gottlieb Fichte (1772-1829). Além de filósofo, historiador e poeta alemão.
2. René Descartes (1596-1650). Expoente do “Racionalismo”. Nasceu na cidade de Tours -França.
3. Aristóteles (384 – 322 a.C.) Um dos maiores filósofos gregos. “Encontramos a verdade a partir das evidências no mundo à nossa volta”.
4. Peter Singer (1946-). Filósofo australiano conhecido por sua apaixonada defesa do direito dos animais.
5. Sócrates (469-399 a.C.) Filósofo grego considerado um dos fundadores da filosofia ocidental. Acusado de corromper a juventude foi condenado à morte pela ingestão de cicuta (poderoso veneno).
6. Diógenes de Sínope (404-323 a.C.). Filósofo grego pregou o minimalismo dos recursos como meio para se atingir uma vida virtuosa.
7. Michel de Montaigne (1533-1592). Francês.Notabilizou-se pela obra “Ensaios” na qual discorre sobre os desafios morais e intelectuais de se viver em sociedade.
8. Sidarta Gautama (mais conhecido como Buda- 563-483 a.C.). Nasceu na região que hoje é o Nepal. Filho de um nobre, largou tudo para se dedicar à espiritualidade.
9. David Hume (1711-1776). Escocês , foi uma criança prodígio ao ingressar com apenas 12 anos de idade na Universidade de Edimburgo. Foi severo crítico do “Racionalismo” com sua obra “Tratado da Natureza Humana”.
10. Arthur Schopenhauer  (1788-1860). Nasceu em Danzig (atual Gdansk,Polônia). Via a humanidade como “à mercê de uma Vontade Universal despropositada e irracional”.
11. Erasmo de Roterdã (1466-1536). Holandês. Famoso por sua obra “Elogio da Loucura”, que satiriza a corrupção e as disputas internas na igreja católica.

posts parecidos

Destaques

Conectividade de A-Z

O CANAL PARA FALAR DA CONEXÃO HUMANA.

Aqui você tem voz. Pode contribuir, sugerir, criticar, propor temas, discutir e ampliar o escopo do Blog. Nossa conexão poderá fazer a diferença.