É NATAL. ÉPOCA PERFEITA PARA UM PEDIDO DE DESCULPAS.


Após séculos e séculos de evolução civilizatória a humanidade aprendeu que um pedido de desculpas é o início do processo de reconciliação.


Dona Socorro briga feio com Das Dores, sua vizinha. Elas se xingam e quase chegam às vias de fato por uma bobagem qualquer. Como as duas se conhecem há anos e compartilham as durezas da vida , uma semana depois conversam, pedem desculpas mútuas e se abraçam. Algumas lágrimas rolam. O motivo da desavença é superado pelo reconhecimento das culpas recíprocas.

Kristen Stewart atriz da saga Crepúsculo, não resiste aos encantos do diretor Rupert Sanders e trai seu namorado vampiro Robert Pattinson. A pulada de cerca gera comoção entre seus seguidores. Kristen pede desculpas a Robert e aos fãs.

Luiz Felipe (Felipão) Scolari acaba de ser indicado o novo técnico da seleção brasileira. Em sua primeira entrevista à imprensa , sem intenção de ofensa, insinua que os funcionários do Banco do Brasil são uns folgados “se você não quer pressão vai trabalhar no Banco do Brasil”. Claro que o pessoal do banco estrilou. Felipão apressou-se em um pedido de desculpas.

Você estará mais do que certo ao refletir que à exceção de Socorro e Das Dores, os demais são profissionais  que vivem da opinião pública e que precisam se desculpar dos eventuais deslizes cometidos se quiserem manter-se em seus empregos nesta época do politicamente correto.

Mas, nem sempre as coisas foram ou são assim.

Pedir desculpas não é um ato fácil, natural ou espontâneo apesar de ser o caminho mais curto e indolor para a superação de contendas.

Alguns dos mais notórios descalabros praticados por nossos compatriotas jamais foram motivo de um tênue pedido de desculpas. A usurpação das terras de nossos índios e a destruição de sua cultura não mereceu sequer um cenho entristecido. Tampouco os crimes hediondos cometidos à época da escravidão.

As atrocidades cometidas durante a guerra do Paraguai  jamais resultaram em um breve aceno de pesar e até hoje somos vistos como matadores impiedosos na outra margem do Rio Paraná.

Querem fatos mais recentes? Lembram-se do massacre do Carandiru, em 02/10/92, o maior da história penitenciária do país e que resultou em 111 mortos pela mão armada do Estado? Nenhum sinal de lamentação do governo paulista. Ao contrário, o Cel. Ubiratan Guimarães responsabilizado pela chacina e condenado a 632 anos de prisão conseguiu ter sua sentença  anulada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

Na chacina da Candelária no Rio de Janeiro, um ano depois, a polícia carioca atirou contra cerca de setenta crianças e adolescentes que dormiam. Oito morreram e mais de vinte ficaram gravemente feridos. Você acha que houve algum mea-culpa?

Quando os atos hediondos se dão em macro e mega escalas a ira mundial tem motivado às nações que os perpetraram não apenas pedidos oficiais de desculpas mas , reparação efetiva através de indenizações.

A Alemanha pagou bilhões de dólares às vítimas do Holocausto e em 2000, seu presidente Johannes Rau pediu desculpas formais em discurso no parlamento israelense.

Somente em 1990 os japoneses  se desculparam com os coreanos pelos abusos sexuais e crimes praticados contra mulheres durante a guerra da Coréia nas décadas de 30 e 40 do século passado e ainda assim após forte pressão internacional. Mas pediram!

Os casos ignóbeis cometidos pela humanidade não escolhem continentes nem níveis de intolerância. A Austrália teve que pedir desculpas aos aborígenes pelo sequestro de suas crianças a título de civilizá-las no seio de famílias brancas.

Bem. Estamos quase entrando no décimo terceiro ano do século 21 e apesar de toda a retrospectiva desses fatos históricos cuja função é provocar reflexão nas mentes mais empedernidas  gerando aprendizado e mudança de comportamento,  nossos homens públicos mais eminentes e seus partidos políticos demonstram que pouco ou nada aprenderam.

O que dizer da patética declaração do ex- presidente Da Silva (Lula) feita ontem, dia 19 de dezembro na posse da nova diretoria do sindicato dos metalúrgicos do ABC paulista? O que mais machuca os meus adversários é o meu sucesso”.

Somente uma mente senilmente perturbada poderia cogitar de que seus recentes e vergonhosos atos de negação de um estado visceral de delinquência republicana poderiam ser equiparados a algum tipo de “sucesso”.

Questionado pela imprensa sobre suas ligações com a recém-indiciada amiga do peito Rosemary Noronha por ele próprio alocada para chefiar o gabinete da Presidência na cidade de São Paulo nenhuma palavra.

Ao contrário, agrediu a inteligência dos presentes com uma velhaca bazófia de que em 2013 irá fazer muitas viagens pelo Brasil para “tristeza de alguns e alegria de muitos”. O objetivo, claro, é mostrar-se inocente como uma paloma cabocla negando patologicamente seus costumeiros esquecimentos de atos reprováveis sorrateiramente praticados.

Tudo poderia ter sido diferente para sua história como estadista se tivesse admitido seus erros e enviado à nação nem que fosse um singelo mas sincero, pedido de desculpas. A época é mais do que propícia. É Natal.

Desejo a todos vocês, estimados leitores, dias de muita alegria, paz e tolerância. Quanto a mim, desde já, peço-lhes desculpas a todos quantos se sentiram incomodados por qualquer ideia ou frase aqui mal posta.

Retornarei a este Blog em 7 de janeiro de 2013.  

FELIZ ANO NOVO.

posts parecidos

Destaques

Conectividade de A-Z

O CANAL PARA FALAR DA CONEXÃO HUMANA.

Aqui você tem voz. Pode contribuir, sugerir, criticar, propor temas, discutir e ampliar o escopo do Blog. Nossa conexão poderá fazer a diferença.