VOCÊ SABE COMPRAR PORQUE NÃO SABERIA VOTAR?


Empresas e pessoas em todo o espectro de atividades profissionais são obcecadas pela opinião de seus clientes ou consumidores. Se não são, deveriam.
Atuem elas na indústria, no varejo ou em outra modalidade de negócio qualquer, miram-se constantemente no espelho do mercado e se fazem as seguintes perguntas:
1. O que leva alguém a escolher a nossa marca?
2. Em que somos diferentes dos outros?
3. Por que um cliente continuaria comprando de nós?
4. O que nos faz especiais e desejáveis para cada um dos perfis de clientes?
A única coisa permanente neste século é a mudança. Você já deve ter ouvido essa frase antes. Nunca na história da humanidade ocorreu um período como esse em que aquilo que era válido ontem hoje não tem valor algum. Não há mais dogmas nem certezas. A evolução científica, tecnológica, da comunicação, da disponibilidade da informação e do conhecimento provocam mudanças cada vez mais surpreendentes em valores, hábitos, atitudes e comportamentos. Você sabe: o cliente mudou.
·         Acessa todo o tipo de informação on-line. Pode saber mais do que você sobre tudo que lhe interessa, inclusive sobre sua própria empresa e produtos.

·         Está conectado. Participa de redes sociais e compartilha suas experiências com amigos a todo momento. No século 20 falava com cerca de 20 pessoas. Hoje fala com 200! Em alguns casos fala com 2.000, 20.000, 2 milhões...

·         Sabe exatamente o que quer. Não é mais refém da opinião alheia.

·         Cria sua própria comunicação de massa e tem sua própria mídia graças às novas ferramentas e tecnologias digitais.

·         Tem consciência de sua força, importância e poder. Tem voz. É temido e respeitado por isso.

·         Toma sua decisão de compra a partir de sua experiência  com uma “Marca” (loja, produtos, serviços, pessoas, processos, etc.).

·         Deseja soluções personalizadas e que atendam a demandas ou prioridades específicas. Prefere o “fazemos por você” ao “faça você mesmo”.

·         Aprecia ambiente, atmosfera, design, conforto, comodidade, praticidade, rapidez.

·         É intransigente com comportamentos antiéticos.

·         Conhece a diferença entre “preço” e “valor”. Compara “valor”, não preço.

·         Está ligado a causas ambientais e sociais. Valoriza empresas que se preocupam com elas.

·          Repudia preconceitos, autoritarismo e comportamentos manipuladores.


 O mercado mudou
·         Há muito mais concorrência e com isso a criatividade e inovação é o novo “mantra” corporativo.

·         A segmentação está generalizada.

·         Novos nichos são explorados como nem se imaginava ser possível.

·         O acesso a produtos e serviços está universalizado. As classes C e D somadas já constituem a maioria do mercado.

·         Demandas específicas são identificadas e atendidas muito mais rapidamente.

·         As novidades transitam e fluem livremente em nível global.

·         As novas forças do mercado feminino, adolescente e pré-adolescente provocam um tsunami na forma de relacionamento com as empresas.

·         Produtos sem valor agregado tornam-se commodities (caem na vala comum da padronização).

·         A relação “Custo X Benefício” é o principal elemento de decisão.

 Que tal agora usarmos o mesmo raciocínio em relação à escolha de nossos representantes neste sistema democrático que alterna parlamentares e governantes pelo voto a cada quatro anos?
As perguntas deveriam ser praticamente as mesmas:
1. O que me faz escolher este candidato?
2. Em que este candidato é diferente dos outros?
3. Por que eu, eleitor, continuaria a dar meu voto a este candidato?
4. Qual a ficha corrida de serviços prestados à sociedade e ao país por este candidato?
Se você, como cliente, mudou, tornando-se muito mais exigente e conectado em suas relações com o mercado por que não mudaria também em sua forma de exercer a cidadania?
Se antes de adquirir um produto muito desejado você pesquisa em sites, troca ideias com amigos nas mídias sociais e acessa opiniões de revistas especializadas por que faria diferente com o objeto de seu voto?
Não se tem um PROCON para reclamar de políticos que não prestam. Você não vai receber o seu voto de volta. A única saída é pesquisar muito bem sobre o caráter, a história de vida, a reputação, as realizações, a coerência, a índole, os erros, as promessas não cumpridas de seu provável candidato.
Nesta eleição, mude sua forma de analisar este “produto-candidato”. Escolha aquele que reúne as melhores características e benefícios. Não é assim que você faz quando vai às compras?
O Resumo da Ópera
Os clientes (eleitores) estão
+ Exigentes
PARA DIFERENCIAR-SE, SEU PRODUTO (CANDIDATO) DEVE PROPORCIONAR  A MELHOR EXPERIÊNCIA POSSÍVEL AO CLIENTE (ELEITOR) AO LONGO DE TODA A SUA VIDA ÚTIL.
+ Sofisticados
+ Informados
+ Conectados
+ Conscientes
+ Estressados
+ Atentos
+ Globalizados
+ Engajados
+ Diversificados
+ Analíticos
... e (– Fiéis).

 Desejo, a você, caro leitor, a melhor semana possível!
Grande abraço.

posts parecidos

Destaques

Conectividade de A-Z

O CANAL PARA FALAR DA CONEXÃO HUMANA.

Aqui você tem voz. Pode contribuir, sugerir, criticar, propor temas, discutir e ampliar o escopo do Blog. Nossa conexão poderá fazer a diferença.