DEU NO NEW YORK TIMES. NOSSA CULTURA NADA EM DINHEIRO.

Não. Não é uma pegadinha de 1º. de Abril.

Lembra-se daquele jornalista que o Lula queria expulsar do país por ter dito que o ex-presidente gostava de tomar umas canas? O fato aconteceu em maio de 2004 e ganhou notoriedade mundial. Na ocasião, os aloprados e réus do mensalão Luiz Gushiken e José Dirceu jogaram lenha na fogueira e convenceram Lula de que a honra da pátria havia sido enxovalhada e que a expulsão do jornalista era inadiável.

Para você entender em que nível as coisas eram tratadas, o jornalista conta que fontes fidedignas do Palácio do Planalto lhe asseguraram que o Lula ao saber que não se poderia expulsar o jornalista por este ser casado com uma cidadã brasileira, bateu na mesa e disse “ F**** a Constituição, quero que este cara vá embora”.

Pois bem, o jornalista é Larry Rohter e publicou um artigo hoje, dia 29 de março, falando da grana preta em que o SESC se esbalda para gastar como quiser em atividades culturais dos mais distintos matizes enquanto no mundo todo a cultura conta os tostões.

Claro que é sempre bom ler em jornais prestigiados como o NYT alguma notícia favorável ao Brasil principalmente porque a mídia internacional sempre nos tratou com absoluto desprezo para dizer o mínimo.

A matéria é elegante e elogiosa, mas o que deve ter deixado os gringos embasbacados foi a informação de que a grande preocupação do SESC é achar formas de gastar 600 milhões de dólares por ano em cultura.

O diretor da entidade Danilo Miranda cita na reportagem:
“Nosso princípio norteador fundamental é usar a cultura como uma ferramenta para a educação e a transformação, para melhorar a vida das pessoas, e estamos numa posição de cumprir essa missão, graças a Deus. Ao longo da última década, nosso orçamento vem dobrando a cada seis anos, mais ou menos. É incrível, não?”

Danilo, você tem toda a razão. Realmente é incrível. Este é mais um dos exotismos de nosso país. O SESC nada em dinheiro para gerar instrumentos de cultura enquanto temos escolas na mais extrema penúria com alunos famélicos, sentados em tábuas debaixo de árvores ou simplesmente ao relento tentando aprender o inaprendível.

Neste mesmo dia 29, os jornais publicam que o TCU investiga a compra de 28 lanchas pelo Ministério da Pesca e que deste total apenas 5 são efetivamente usadas. Cada unidade custou cerca de R$ 1 milhão e parte do total de R$ 31,1 milhões foi paga durante a gestão de Ideli Salvati que hoje está à frente do Ministério de Relações Institucionais.

Diz a matéria que este estupendo negócio foi arranjado para que a empresa catarinense (estado natal da ministra) Intech Boating Ltda. ganhasse a licitação a qual (ora, veja) somente foi publicada em jornais que circulam exclusivamente no Distrito Federal, onde ,obviamente não existem estaleiros.
E assim vamos nos orgulhando de agora sermos a sexta economia do planeta...

A propósito. Se você quer que as coisas mudem faça alguma coisa para que nosso sistema político mude. Um bom começo é a discussão do Voto Distrital já mencionada aqui neste Blog.

Grande abraço e ótimo 1º. de Abril para você.

A matéria do NYT você encontra em:
http://topics.nytimes.com/topics/reference/timestopics/people/r/larry_rohter/index.html

posts parecidos

Política

Conectividade de A-Z

O CANAL PARA FALAR DA CONEXÃO HUMANA.

Aqui você tem voz. Pode contribuir, sugerir, criticar, propor temas, discutir e ampliar o escopo do Blog. Nossa conexão poderá fazer a diferença.