WANG XIAOPING – FILOSOFIA CHINESA TIPO “R$ 1,99”

Debruçar-me constantemente sobre novas ideias que podem fazer a diferença ou antigas ideias que continuam fazendo a diferença- por serem atemporais- faz parte do meu trabalho como consultor.

Em minha última incursão às livrarias deparei-me com o livro “A Segunda Declaração – O próximo passo da evolução e o futuro da humanidade” da chinesa Wang Xiaoping, incensado na capa como “O best-seller no.1 na China e no Japão”. O título pretensioso, a hipnotizante capa vermelha e a foto em preto e branco da autora ao centro formavam a conjunção perfeita para fisgar leitores compulsivos. Pura perda de tempo!

A escritora, que é apresentada como uma jovem autodidata de 25 anos, preferiu trocar a formação acadêmica convencional pelo conhecimento prêt-à-porter da internet. Deu no que deu: ideias rasas, filosofia descartável como um artigo R$ 1,99 da Casa China. A “sabedoria” disponível no livro alimentaria indefinidamente Casseta & Planeta se este programa ainda existisse.

O país que nos deu Confúcio (551 a.C- 479 a.C), filósofo e grande mestre, Lao Tzu (não há registros confiáveis sobre datas de nascimento e morte) criador do Taoísmo um dos pilares filosófico-religiosos da China e Sun Tzu (544 a.C -496 a.C), general, estrategista e filósofo , autor de “A Arte da Guerra”, decididamente não é o mesmo da jovem Wang.

Somente sendo uma peça de promoção do atual sistema político chinês é que se entende a visibilidade deste manual de bobagens (um dos ídolos da autora é Mao-Tsé-tung alardeado como brilhante pensador e inimitável poeta).

Conheça os fundamentos da filosofia Xiaopinguiana:

1. “...Como já entramos no século 21, e países como a China, principalmente, vêm defendendo a liberdade ideológica, acredito na busca da verdade, nos fatos e na modernização “...

É isso mesmo que você leu! Só estando sob o efeito de algum poderoso alucinógeno chinês para acreditar que o país defende a liberdade ideológica. É escarnecer do seu homônimo Wang Weilin, o jovem de 19 anos que se imortalizou ao enfrentar tanques no meio da Avenida Chang An (“Longa Paz”), em 1989, na conhecida revolta em que milhares de estudantes saíram às ruas de Pequim para exigir do Partido Comunista justamente liberdade ideológica.


2. “... A ciência nos abre a perspectiva admirável na direção da vida eterna, na condição de deuses... Tornar-se um ‘deus’ significa transformar-se no mais perfeito super-homem, que é a maior aspiração desta nação”.

Tive que conter o ímpeto de arremessar o livro pela janela num misto de estupor e ira por ter gasto R$ 65,00 nesta peça de filosofia-vodu. Se você pensava que a Marvel Comics viajava na maionese do poder norte-americano sem tréguas a guerrear contra malfeitores deste e de outros planetas, então não tem a mais pálida ideia do que pretende esta cabecinha transtornada: o futuro da humanidade estará à mercê de andróides amarelos que falam o mandarim sintetizado.

3. “ O caráter moral do indivíduo é consequência de sua característica genética... o caráter ‘ousado’ da família Kennedy deve estar relacionado a seus genes... (sobrou para o famoso clã estadunidense que provavelmente só tem suas peripécias pouco ortodoxas divulgadas por lá a título de mal exemplo).

Para quem só conhece aquilo que pode pesquisar no Baidu ( uma cópia chinesa do Google , só que censurado, cuja logomarca é um sugestivo dragão) ou no Todou e Youku ( clones do YouTube que só divulgam os vídeos licenciados pelo regime) ou no Hudong ( a Wikipédia amarela) é fácil entender os desvios científicos e filosóficos da autora. Afirmar que a moral é determinada pelos genes é simplesmente imoral não fosse repugnante como um prato de aranhas grelhadas (iguaria da culinária chinesa).

São 30 mil censores que vigiam constantemente tudo o que se pesquisa e se discute na internet do país. Somente aquilo que é permitido pelo governo (que não tem nem vergonha de batizar seu sistema de censura de “Escudo Dourado”) pode ser acessado.

4. “Quando viver significa sofrer não é possível enxergar o prazer do amanhã, as pessoas preferem acabar com a própria vida... Um ‘deus’ é um ser pleno de felicidade incomparável e duradoura; é isso que a humanidade do futuro deverá conseguir: alegria 24 horas por dia”...

Estou fora desse nirvana chinês com felicidade garantida 24 horas por dia ao preço de perplexidades como esta. É preferível ter algum nível de apoplexia assistindo o Big Brother ou lendo que “Luíza está -ou chegou -do Canadá”.

5. “Diferentemente dos ocidentais, que depositam suas esperanças no outro mundo e na imortalidade da alma, os chineses sempre acreditaram na vida eterna e batalharam para atingi-la.”

Segundo a autora, sua inspiração vem de discursos do “brilhante pensador” Mao Tsé –tung, que afirma ser possível viver 200 anos sem muito esforço. Ela, que representa a ambiciosa geração Z chinesa, gasta metade do livro defendendo o investimento na “imortalidade”. Viver 1.200 anos será tão comezinho dentro de pouco tempo como devorar um prato de arroz Chop-Suey.

Nós, pobre ocidentais, na falta de um Mao Tsé-tung, temos que nos contentar mesmo com Aristóteles, Sócrates, Platão, Descartes, Tomás de Aquino, Kant, Spinoza e outros menos cotados no Baidu ...

6. “A coisa mais importante do século 21 não será o dinheiro, nem os recursos, nem mesmo a tecnologia, mas o ideal comum capaz de unir os povos do mundo. Isto é o ideal da evolução para a conquista da imortalidade. Essa, a contribuição do povo chinês para o mundo.”

Quando a gente achava que já tinha visto cinismo suficiente em Brasília, eis que Pequim nos surpreende de novo: não se trata obviamente de martelar que a China enriquece explorando sua mão de obra semi-escrava e expropriando todas as patentes intelectuais do planeta mas, de saber que o ideal Xiaopinguiano é a união planetária em torno da “evidente” superioridade filosófica, científica, moral e política do país do grande líder Hu Jintao, defensor extremado dos direitos humanos, da liberdade de pensamento e do livre intercâmbio entre as nações.

Ora, ora... Wang, poupe-nos!

Mas ela vai em frente superando-se na arte da elucubração de parvoíces sem rival no mercado:

1. É possível separar em duas categorias os fatores determinantes de um ser: características congênitas e características adquiridas. ( Pobres Freud, Jung, Lacan...)

2. O aperfeiçoamento da herança genética pela tecnologia é a eugenia realizada com a ajuda dos recursos tecnológicos. (Que os “deuses” nos livrem...)

3. De certo modo, qualquer criminoso é inocente, porque foram causas sociais as responsáveis por sua inserção no mundo do crime. (Aqui também tem político que pensa assim).

4. O sistema de patentes é a recompensa e a expressão do respeito pela sabedoria humana... (Como se a China tivesse algum respeito por isso).

5. Nossa educação tem a função de cultivar a alma. Devemos também enfatizar a educação para o prazer. A melhor educação deve ser a que propicie a todos uma alma feliz. ( Antes, ela renega a existência da alma e chama de idiota quem acredita nela).

6. No futuro, mesmo sem formação musical, qualquer pessoa terá condições de tocar lira em estilo livre e fluente, como um músico profissional, ou compor peças musicais comoventes. (Sem comentários).

7. A fórmula da felicidade é:

Quantidade Total de Felicidade = Quantidade Diária de Felicidade x Número de Dias Felizes. ( Muito melhor que Einstein).

8. Por que desejamos ser imortais? A única resposta é: por prazer. O objetivo final da evolução humana é a busca do prazer. ( Temos aí a novíssima doutrina sino-epicurista de supermercado).

9. As três principais necessidades do ser humano são: sobrevivência, diversão e desenvolvimento . (Esqueça Maslow !)

10. A engenharia genética pode combinar genes de seres humanos, animais, vegetais e de qualquer outra espécie para gerar uma vida individual. (Atenção James Cameron – guarde essa para Avatar 2).

Todas as resenhas pesquisadas por mim são de funcionários do governo chinês e ,obviamente, positivas. Nos EUA, o livro não tem merecido nenhum tipo de comentário. Encontrei na internet um comentário negativo de um leitor brasileiro. Vamos aguardar para ver as reações dos leitores locais.

Sábio é o provérbio chinês que diz : “Espere o melhor, prepare-se para o pior e aceite o que vier”....

Só assim é possível percorrer esta grande muralha da idiotice sem ter vontade de se jogar do alto dela...


Desejo a todos uma semana de sucesso  e conexões que façam a diferença em sua vida!

posts parecidos

Destaques

Conectividade de A-Z

O CANAL PARA FALAR DA CONEXÃO HUMANA.

Aqui você tem voz. Pode contribuir, sugerir, criticar, propor temas, discutir e ampliar o escopo do Blog. Nossa conexão poderá fazer a diferença.